Game Design Case – Erinia

Today’s post is portuguese-only, I’m sorry for that. But I’ll try to translate it in a very near future, but for now, here it goes.

Erinia – MMORPG Nacional

Em meados de 2004 eu conheci (não me lembro como) o que era pra mim o primeiro MMOG brasileiro, Erinia! Desenvolvido pela Ignis Games. O principal fato que me levou a jogá-lo era que além de ser brasileiro ele era gratuito (estava em fase beta) e tinha como enredo o folclore brasileiro.

À primeira vista, percebi que ele era um RPG medieval como tantos outros, o que facilitava um pouco a entrada, pois já possuia familiaridade com o gênero. Ao começar a jogar, resolvendo as primeiras quests, acabei sendo fisgado pelo enredo, que me trazia muitas lembranças da infância, época em que conheci, assim como muitos brasileiros, as figuras do nosso folclore.

Segundo consta em sua página da Wikipedia, o jogo entrou em funcionamento beta em maio de 2004 e teve sua primeira versão oficial em novembro do mesmo ano. Atualmente o jogo encontra-se em uma nova fase desenvolvimento, após a compra do mesmo pela Rede Networks.

Agora, vamos analizá-lo por partes.

Gráficos

O jogo é totalmente 3D, tanto os cenários quanto os personagens, o que adiciona uma boa quantidade de realismo, porém tem desvantagens. Por se tratar de um MMO, às vezes acontece de você sair correndo pelas florestas e acabar encontrando descampados. Só que estes descampados são, na verdade, florestas que ainda não tiveram as árvores e até mesmo os monstros carregados.

Apesar desse lag ser comum em jogos on-line, durante toda a minha experiência jogando Erinia (quase um ano) esse problema era constante, acontecia sempre que eu ia jogar. Como já faz um bom tempo que não jogo, pode ser que este problema tenha sido resolvido, ou pelo menos minimizado, pois hoje em dia outros MMO com gráficos 3D possuem um tempo de resposta bastante satisfatório, de modo que não prejudica a experiência do jogador.

Sons

A experiência sonora não é marcante no jogo. Os efeitos sonoros têm boa qualidade mas não são abundantes, a maior parte do jogo você só ouve a música de fundo, ouvindo os efeitos sonoros só quando encontra inimigos.

As músicas de fundo são bastante simples e variam de acordo com o ambiente atual. Ou seja, existem temas diferentes para as cidades e as florestas.

Acredito que uma melhoria nesse ponto seria a inclusão de músicas curtas que dependessem de algumas situações no jogo, como a aproximação surpresa de um inimigo, ou a descoberta de algo importante.

Jogabilidade

O modelo de jogabilidade é o já consagrado mouse + teclado. O mouse serve para indicar onde o jogador deverá ir e com quais objetos e personagens interagir. O jogador também tem à disposição uma barra de atalhos configurável, a qual pode acessá-la tanto com o mouse quanto fazendo uso de teclas de atalho.

O jogador tem à sua disposição o básico de RPGs medievais, como a utilização de diversas armas, dependendo da classe do seu personagem, além de magias de ataque e defesa. Também existe um mecanismo para edição de personagens.

O jogo permite tanto PvE (player-versus-enemy) quanto PvP (player-versus-player). No primeiro, o jogador só pode atacar NPCs hostis enquanto que no segundo ele pode atacar outros jogadores que também tenham optado pelo modo PvP. A outra restrição do modo é o local das lutas, pois o jogo possui santuários onde não podem acontecer PvP.

Tanto as lutas PvE quanto PvP dão ao usuário experiência, que serve como medidor para o personagem subir de nível.

A nova fase de desenvolvimento promete melhorar o sistema de balanceamento, de modo a atrair novos usuários.

Enredo

O mundo de Erinia consiste basicamente em continente enorme, Tuorhence, que possui três grandes cidades, uma em cada extremo da ilha, Norte, Leste e Oeste. O continente ainda possui vários tipos de terrenos, florestas, pântanos, catacumbas, montanhas, cavernas, etc.

As criaturas existentes nesse continente são divididas basicamente em monstros e humanos, e estes monstros foram criados com base no folclore brasileiro.

Ao longo do jogo será possível encontrar Sacis, Mapinguarís, Caiporas, Homens-do-Saco dentre outros. Além dos monstros, algumas quests e lendas “locais” fazem uso do nosso folclore. Em certo momento do jogo o jogador é apresentado à lenda indígena do surgimento do guaraná, lenda esta que ele deverá lembrar para poder responder uma pergunta mais tarde e receber um item se acertar a resposta.

Ainda temos os itens do jogo que também sofrem influência das nossas histórias, como por exemplo a poção de Andiroba, que restaura a stamina do personagem.

Toda essa nossa cultura representada no jogo acaba enriquecendo, e muito, a experiência do usuário. Aumentando também o grau de imersão, pois como tudo aquilo soa muito familiar o jogador é envolvido sem grande dificuldade.


Saci

Cape-Anta

Caipora

Guará

Mapinguari

Homem-do-Saco

Interface Jogo-Jogador

Mais uma vez, bebendo na fonte “padrão” dos RPGs, Erinia apresenta uma tela de jogo com uma visibilidade ampla do campo de batalhas, facilitando o movimento da câmera e o acesso do mouse ao terreno. Além disso existem as barras indicadoras de vida, magia, stamina e experiência, assim como uma bússola, no canto superior esquerdo.

Na extremidade inferior da tela está localizada a barra de atalhos (à esquerda), com 12 posições, e no canto direito temos atalhos para as funções de jogo (sair, salvar, configurações, etc).

A interface não é novidade, mas também não chega a atrapalhar. E acaba por servir bem ao seu propósito, prover boas funcionalidades ao jogador, de modo que a jogabilidade não seja afetada negativamente.

Game/Level Design

Por se tratar de um RPG, o jogo precisa de quests, e nesse quesito Erinia não parece muito rico num primeiro momento. As quests disponíveis no começo do jogo são poucas, e muitas delas envolvem muito ações do tipo hack-and-slash. Existe hoje em dia jogos similares que possuem uma diversidade grande de quests, inclusive de quests bastante criativas. Mais uma vez, pode ser que na próxima versão do jogo este quesito sofra uma sensível melhora.

Deixando de lado as quests, outro quesito a ser analisado é a disposição dos monstros no mapa. Como os novos personagens sempre começam nas cidades, os inimigos que rondam pelos arredores destas são os mais fracos, o que é normal e bem pensado. Ainda devo acrescentar uma ótima decisão de level deisgn. Em uma cidade em questão, Aquilonius, os primeiros monstros que o usuário enfrenta são Sacis e Homens-do-Saco. Os primeiros são seres com aparência primata, de uma perna só e grandes braços usados como patas. Já os últimos são homens maltrapilhos que andam com sacos nas costas e jogam lixo nas pessoas.

Esses dois personagens ajudam muito na imersão do jogo, pois como são seres bastante populares da nossa cultura despertam logo a empatia do jogador deixando uma boa impressão. Uma ótima decisão de level design.

Considerações Finais

Um bom jogo, com um ótimo enredo. Existem muitos pontos de melhoria ainda, é verdade, mas Erinia demonstra muito potencial para tomar uma boa fatia no mercado de MMORPGs quando estiver mais maduro.

Referências

Erinia na Wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Erinia
Site Oficial: http://www.erinia.com.br
Download Erinia (com detalhes da história): http://baixaki.ig.com.br/site/detail16050.htm

Advertisements

One Response

  1. […] Todo o material gerado foi produzido em editores de texto (uma aventura-solo, um game deisgn, uma análise de jogo, etc). Eu achei excelente! Afinal, eu não estava me preocupando com detalhes tais como ferramentas […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: