Cadê o blogueiro que estava aqui?

Eu tenho uma deficiência. Eu não sou muito multi-tarefa. Eu consigo me concentrar e fazer coisas legais, mas uma de cada vez. Ou pelo menos, uma do mesmo tipo de cada vez.

Acontece que nas últimas duas semanas eu arrumei outra ocupação bastante parecida com manter este blog, eu me juntei ao pessoal da Loodo! É isso mesmo! Eles estavam precisando de uma cabeça mais técnica – todos eles são designers – e eu apareci para ajudar.

Além de participar dos próximos projetos da equipe (sim, teremos jogos novos esse ano) vou contribuir também com o blog. Tanto que ontem mesmo foi republicada a entrevista com Túlio Adriano que publiquei aqui mês passado.

E é justamente por esta contribuição ao blog de lá que eu devo deixar o blog de cá um pouco mais parado, mas prometo que não vou deixá-lo esquecido. Talvez passe a usá-lo mais para fins não relacionados à game design, uma vez que o assunto é de interesse na Loodo, mas com certeza ainda vou aparecer vez por outra por aqui.

E seja o que Deus quiser. 🙂

Capoeira Legends

Agora já é meio notícia velha mas eu queria registrar as minhas impressões sobre o Capoeira Legends, anunciado esta semana.

Assim como o falido falecido e saudoso Erinia, o que me chamou a atenção no jogo foi justamente o enredo, baseado totaltmente na nossa cultura. Afinal por mais legal que achemos as culturas de outros países, nós temos muita história para contar!

Apesar da empolgação com o tema, ao dar uma conferida no vídeo de gameplay eu fiquei meio desconfiado. Os inimigos pareceram meio “bestões” e a colisão do sistema de combate pareceu “bugada” uma hora, em que o personagem erra uns três chutes mas o inimigo não pareceu se esquivar.

Bom, não vou ser o chato e dizer “não comi e não gostei”, mas eu espero que eles disponibilizem um demo do jogo para eu pdoer experimentar e depois analisar melhor. 🙂

E vocês, o que acharam?

Video de gameplayhttp://www.youtube.com/watch?v=SPXcXq7HFwA

Estou no Twitter

Aderindo à moda tardiamente eu criei uma conta no Twitter. Para quem não conhece o site, ele é uma comunidade virtual cujo princípio básico é os usuários ficarem digitando frases pequenas que digam o que eles estão fazendo/pensando no momento.

Pode parecer besta, mas ele foi quem começou com essa idéia que já foi utilizada em outras redes de relacionamento como Facebook e Orkut (na verdade essas frases de status eu acho que começaram com o MSN Messenger). E o grande lance dele é que os usuários podem “seguir” uns aos outros, o que funciona como o “adicionar um amigo” nas outras redes, e assim ficar sabendo o que todo mundo anda fazendo.

O motivo de eu ter finalmente entrado na onda é que depois de Neil Gaiman e vários empresas da indústria de jogos eu vi que Raph Kostergame designer e autor do aclamado livro A Theory of Fun for Game Design – criou uma conta no site e que realmente já tava na hora de eu marcar presença lá. Afinal, é sempre importante você aumentar o seu network, certo?

Enfim, quem quiser me acompanhar por lá, é só seguir @alvarocavalcant – é, sem o “i” mesmo. Nome grande dá nisso. Mas aviso logo que pelo menos no começo vocês só vão ver por lá anúncios dos posts que eu fizer aqui no blog – graças ao TwitterFeed.com. Quem sabe depois eu acabe tomando gosto pela coisa?

Recado dado. Quem estiver por lá sinta-se a vontade para passar e dizer um “oi”. 🙂

[Link] Novas Velharias

Acabei de ler este artigo no Gamasutra e achei muito legal.

Critical Reception: Xseed/Namco Bandai’s Retro Game Challenge

O jogo em questão, Retro Game Challenge, é bem interessante. Ele é, no final das contas, uma coletânea de jogos 8-bit que nunca existiram, mas, como é citado no artigo, você vai desejar que tivessem existido.

Na história do jogo você é enviado ao passado, por um apresentador de talk-show (?) para jogar com o seu eu mais novo jogos da época e completar os desafios em cada um deles. Apesar dessa história parecer apenas uma desculpa para justificar a compilação, eles a incrementaram com material promocional fictício dos jogos, como materias em revistas, scan de manuais, etc.

Uma boa decisão de design que enriquece a jogabilidade, aumentando a imersão, fator importante num título saudosista como este. Fiquei curioso mesmo.

Ah, se eu tivesse um DS… 😉

Artigo Interessante

Acho que todos aqui já sabem que eu acompanho de perto o blog de dois Game Designers que eu passei a respeitar bastante desde que comecei a estudar o assunto, Brenda Brathwaite e Ian Schreiber. Pois bem, acontece que há alguns meses eu tenho lido alguns artigos publicados por Lewis Pulsipher, e ele acaba se se juntar aos dois acima mencionados no meu hall de admiração e respeito na área.

O último artigo do st. Pulsipher que li foi, traduzindo o título, Características de Game Designers de Sucesso é muito bom, pois trata de pontos extremamente válidos para os aspirantes à GD.

Persistência é mais importante que “criatividade”

Acho que essa é a frase que pode resumir todo o artigo, pois a idéia é reforçada em quase todo parágrafo. Outro ponto que vale a pena ser mencionado é este:

Eles [os game designers] devem ser pessoas que querem ser produtivas sempre que possível, e não sempre que forem forçadas.

Aqui ele aborda a persistência aplicada junto com a vondade de sempre estar aprendendo coisas novas e procurando novos desafios.

Auto-crítica é importante. Se você não consegue enxergar que a sua mecânica favorita não serve ou não é necessária, então você não vai criar jogos bons.

Muitos designers criam o jogo que eles gostariam de jogar, que vai ser quase igual a algum jogo existe que você gosta de jogar.

Você não precisa ser um jogador excepcional, mas ajuda se você for um bom jogador.

Nesta altura do texto ele está criticando a necessidade de ser um gamer viciado em jogos que está querendo criá-los, dizendo que pessoas com essas características serão tendenciosas nos seus projetos e precisarão de muita maturidade para poder quebrar a barreira e fazer um jogo realmente bom e inovador.

Como já disse, recomendo a leitura. O texto não é longo e você não vai se arrepender. 🙂

On Vacations

As I predicted, I haven’t accomplished any of my planned objectives for my vacations. I mean, except for the trip to Belo Horizonte, which Iam am enjoying a lot. I’m currently at my sister in law’s apartment, planning to go out on the afternnon and the evening.

Next wednesday I’ll be arriving home and the things will be resumed. Or something like that. 🙂

The Prank of Zelda

Today I had the worst April’s fool prank ever. And the biggest problem was, I knew it was a prank before I saw it, and even so by the end of the trailer I felt really bad. Damn you, IGN. Damn you all! 🙂

Legend of Zelda Movie Trailer Premiere
http://movies.ign.com/articles/863/863492p1.html